Aba 1

REVISÕES E ESTUDOS

Postado em 04 de Novembro de 2016 às 14h02

ESTUDOS SOBRE AÇÃO DA ROMÃ

Amais e Chá Mais | Produtos Naturais para Nutrição Clínica e Funcional A romanzeira é popularmente usada para o tratamento de um grande número de doenças inflamatórias e infecciosas, incluindo lesões e...

A romanzeira é popularmente usada para o tratamento de um grande número de doenças inflamatórias e infecciosas, incluindo lesões e abscessos de pele e mucosas, amidalites, faringites, estomatites, gengivite, glossite, afecções febris, diarreias de origem bacteriana e parasitária, cólicas, hemorroidas, infecções de vias urinárias e genitais, viroses em geral, infecções por fungos, conjuntivites e doenças respiratórios, como bronquites.

Em meio a grande variedade de plantas medicinais destaca-se a romã (Punica granatum L.), uma planta ornamental e também considerada medicinal, pertencente à família Punicaceae, encontra-se presente em quase todo o mundo. É considerada uma planta nobre, pois todas suas partes possuem propriedades terapêuticas bem definidas, desde a folha até raiz.

Entre os principais fitoconstituintes da Punica granatum L. destacam-se os flavonóides, antocianinas, polifenóis, alcalóides, ácido ascórbico, ácidos graxos conjugados, ácido ursólico e os taninos, presente principalmente na casca do fruto responsáveis pelo poder antibacteriano, agindo especialmente contra Staphilococcus aureus, Streptococcus pyogenes e Escherichia coli, através de sua ação sobre o sulfidril presente nas proteínas dessas bactérias.

É bem conhecida por possuir excelente atividade antioxidante, antiteratogênica, antiproliferativa e anti-inflamatória, por conter compostos bioativos que são poderosos antioxidantes, particularmente os polifenóis. As α punicalaginas e monômeros β são os elagitaninos responsáveis pelas propriedades do suco de romã.

A romã já é bastante usada no tratamento de dispepsia, disenteria, inflamações de gengiva, possuem atividade adstringente e hemostática, bastante usada também no tratamento da diabetes mellitus e possui uma alta eficácia quando usado contra úlceras na boca e genitália. Satisfatoriamente usado nas bronquites.

Referências:

DE SOUSA CUNHA, Lorena et al. POTENCIAL ANTIBACTERIANO DA ROMÃ (PUNICA GRANATUM L.). Mostra Científica da Farmácia, v. 2, n. 1, 2016.

NASCIMENTO JÚNIOR, B. J. et al. Estudo da ação da romã (Punica granatum L.) na cicatrização de úlceras induzidas por queimadura em dorso de língua de ratos Wistar (Rattus norvegicus). Rev. bras. plantas med, v. 18, n. 2, p. 423-432, 2016.

MAIA FILHO, Antônio Luiz Martins et al. EFEITO ANTIINFLAMATÓRIO DA ROMÃ (PUNICA GRANATUM) NA SÍNDROME DO DESCONFORTO RESPIRATÓRIO AGUDO/EFFECT THE ANTI-INFLAMATORY OF THE POMEGRANATE (PUNICA GRANATUM) IN THE ACUTE RESPIRATORY DISTRESS SYNDROME. Saúde em Foco, v. 2, n. 2, p. 80-93, 2015.

Veja também

CháMais é destaque no Congresso Hi-Nutrition 2016!21/03/16 A CháMais marcou presença no 2º Congresso Hi – Nutrition 2016 de 17 a 19 de março no Centro de Convenções Frei Caneca em São Paulo. Os lançamentos da marca foram destaques no evento. São eles: CARBless em cápsulas, CARBless em sachês, 4 Fiber, Vegan Protein, Mune +, linha de colágenos PeptgenDerma9 e os sabores de Sensylac Shake......
Maná Cubiu, sua riqueza amazônica.19/10/17 A busca por novas fontes de nutrientes tem despertado o interesse do consumidor por frutas exóticas devido o sabor diferenciado, valor nutricional e muitas vezes efeito terapêutico muito divulgado cientificamente. O maná cúbiu......
Hibisco15/01/16 Conhecido popularmente como vinagreira, rosela, caruru-azedo, azedinha, caruru-da-guiné, azedada-guiné, quiabo-azedo, quiabo-róseo, quiabo-roxo, rosélia, groselha, quiabo-de-angola, groselheira; o hibisco é uma......

Voltar para Revisões